Conceituação da mediunidade – Herculano Pires – (audiobook)


Conceituação da mediunidade

análise Geral Dos Seus Problemas actuais. Herculano Pires

Conteúdo Resumido

Este livro é uma exposição dos problemas mediúnicos, base-ada na experiência pessoal de Herculano Pires como trabalhador e dirigente espírita durante longos anos, orientando-se nos seus meandros pela bússola de Kardec, a única realmente válida e aprovada pelo Espírito da Verdade, que simboliza a Sabedoria espiritual junto à Sabedoria Humana. Nesta obra o autor estuda todos os tipos de mediunidade, inclusive a mediunidade zoológica. Trata também dos problemas da obsessão e do vampirismo.

Introdução.

“Mediunidade é a faculdade humana, natural,de relações entre homens e espíritos.”

HERCULANO, o metro que melhor mediu Kardec, como diz Emmanuel, através da mediunidade de Chico Xavier, explica nesse livro como o fenómeno mediúnico é natural.O trabalho de Herculano é baseado na teoria e na prática. O embasamento teórico é produto de uma vida de estudos dos livros básicos de Kardec e, no caso do “Mediunidade”, do estudo e reflexão d’O Livro dos Médiuns (Kardec).

José Herculano Pires

José Herculano Pires

José Herculano Pires, o apóstolo de Kardec , é filho do farmacêutico José Pires Corrêa e de sua esposa, a pianista Bonina Amaral Simonetti Pires. Fez os seus primeiros estudos em Avaré, Itaí e Cerqueira César. Desde cedo revelou vocação literária, tendo composto aos 9 anos de idade, o seu primeiro soneto, um decassílabo sobre o Largo São João, da sua cidade natal. Aos 16 anos publicou o seu primeiro livro, Sonhos azuis (contos) e, aos 18 anos, o segundo, Coração (poemas livres e sonetos).

Colaborou em jornais e revistas da época, tanto do estado de São Paulo quanto do Rio de Janeiro. Teve vários contos publicados, com ilustrações, na Revista Artística do Interior, que promoveu dois concursos literários, um de poemas, pela sede, em Cerqueira César, e outro de contos, pela Seção de Sorocaba.

Em 1940 transferiu-se para Marília, onde adquiriu o jornal Diário Paulista, que dirigiu por seis anos. Com José Geraldo Vieira, Zoroastro Gouveia, Osório Alves de Castro, Nichemja Sigal, Anthol Rosenfeld e outros promoveu, através do jornal, um movimento literário na cidade e publicou Estradas e ruas (poemas) que Érico Veríssimo e Sérgio Milliet comentaram favoravelmente.

Em 1946 mudou-se para São Paulo, onde lançou o seu primeiro romance O caminho do meio, que mereceu críticas elogiosas de Afonso Schmidt, Geraldo Vieira e Wilson Martins.

Em sua carreira, foi ainda repórter, redator, secretário, cronista parlamentar e crítico literário dos Diários Associados, tendo exercido essas funções por cerca de trinta anos.

Graduado em filosofia pela Universidade de São Paulo, publicou uma tese existencial: O ser e a serenidade.

Agora recoste-se e desfrute o seu audiobook, desejo-lhe uma boa “leitura”.

 

Isto é tudo para vocês, compartilhem com os outros pelos meios que quiserem!Email this to someone

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *